O Babadook é um filme de 2014, co-produção australiana/canadense, de orçamento limitado, escrito e dirigido por Jennifer Kent, sendo essa a sua estréia como diretora. É uma história de terror psicológico, baseada no curta Monster (também de Jennifer Kent), que conta a história de uma mulher e seu filho, que passam a ser atormentados pelo Babadook, um tipo de entidade do mal.

O filme recebeu uma série de elogios pela crítica quando foi lançado, e eu sempre tive muita vontade de ver, mas só assisti recentemente, com a expectativa lá no alto. Eu gosto muito de filmes de terror, mas existe um probleminha com o gênero, que é a maioria dos títulos de terror serem muito, muito ruins, por várias razões diferentes, mas que geralmente tem em comum o excesso. Excesso de tentativas de assustar, de sangue, de criar algo cada vez mais perturbador, elaborado, obscuro ou doentio, o que faz com a que maioria deles se perca no caminho. Por sorte, Babadook não compartilha desse defeito dos seus primos cinematográficos, sendo um filme que entrega tudo na medida certa.

Aqui temos a história de Amelia, viúva, mãe de Samuel, de apenas 6 anos. Ela perdeu o marido em um acidente enquanto iam para o hospital, justamente para o nascimento do filho. Desde esse momento, a vida de Amelia não foi das melhores, e você tem aqui uma personagem visivelmente deprimida. E como se a vida dela já não estivesse na merda o suficiente, Samuel ainda é uma criança complicada, com problemas para socializar, e que fica criando dispositivos pra se proteger de um monstro. Em determinado momento, o filho encapetado de Amelia acha um livro na sua prateleira, e pede pra mãe ler a história pra ele dormir. Só que é um livro bem bizarro, e após ler, eles começam a serem atormentados pelo Babadook, que é como um espírito, figura, monstro, alguma coisa assim, mas que não é do bem não.

É uma premissa relativamente simples, com poucos personagens, mas não tem aquela cara de produção barata, a limitação é usada pra desenvolver os personagens e explorar todo o lado psicológico do terror. Então você não vai ter litros de sangue jorrando, nem jump scares, é tudo sobre a atmosfera, sobre não saber o que está acontecendo, e a agonia de nem saber ao certo o que é esse “vilão”.

A atuação também é excelente, você chega a se comover com a vida que a protagonista leva, e até o ator mirim entrega uma das crianças mais irritantes da história do cinema, mas isso não é uma crítica, ele vai te fazer pensar bem antes de decidir ter filhos, mas é exatamente o que o personagem é, um garoto que tem uma vida complicada e que tenta arrumar uma forma de lidar com tudo isso.

Babadook não é um filme que vai deixar tudo claro, existe sim muita coisa aberta na história, muitas metáforas, referências e muito para se interpretar aqui. Da primeira vez que eu assisti, principalmente mais pra parte final, eu cheguei a ficar bem confuso, de realmente pensar “o que caralhos está acontecendo?”, mas não é um filme tão complicado, você tem todos os elementos ali pra entender, só vai ter que pensar e digerir tudo no final. E talvez assistir de novo. Ou procurar uma explicação na internet, é uma boa também.

Eu não coloco spoilers em nenhum texto aqui, e é muito difícil analisar todos os pontos do filme sem entregar nada que vai estragar a experiência de quem ainda não assistiu, mas como tem muita coisa a ser falada, talvez mais pra frente eu faça uma postagem aqui analisando melhor o filme, ai sim só pra quem já assistiu. Ainda não está decidido, mas se houver o interesse de vocês, essa matéria vai aparecer aqui nos próximos dias (ou semanas).

O Babadook foi um sucesso de crítica, ele tem impressionantes 98% de aprovação pelos críticos no Rotten Tomatoes, mas só 73%por parte do público, já que isso de ser uma filme aberto à interpretações nem sempre é o que a pessoa espera. É sem dúvida um dos melhores filmes de terror que surgiu nos últimos (muitos) anos, possuí elementos únicos e que merece ser visto mesmo por quem costuma pular os filmes do estilo.

 

> Vale a pena assistir? Vale, acabando de ler isso aqui, já vai caçar pra assistir. E recomendo não procurar muita coisa sobre o filme antes de ver, porque levar spoiler estraga bastante a experiência.

> Tem no Netflix? Sim!

Seguro ver acompanhado? Apesar de ser um filme de terror, ele não é muito gráfico, então é tranquilo de ver pra quem não gosta de muito sangue. Não acho que seja um filme que vai te dar pesadelos depois, a menos que você seja realmente muito sensível. Tem uma ceninha de diversão solitária feminina, bem de leve, mas pode ser desconfortável de ver com a família. O Babadook é um filme que você vai ter muito o que conversar sobre ele depois de assistir, então por isso é ideal para ver com pelo menos mais uma pessoa.

> Trailer: